quinta-feira, 22 de maio de 2008

Abubaquer

Isto aconteceu num povoado da Índia, durante a guerra mundial passada. Os exércitos inimigos invadiam a Índia, e os soldados ajudavam o povo a fugir para salvar suas vidas. Muitos lares ficavam assim separados e nunca mais um chegaria saber do outro. O lar de Abubaquer era muito humilde. Seu pai possuía uma tenda onde ele passava muitas horas olhando o povo que entrava, comprava e saía. À tarde, esperava ansiosamente o momento em que seu pai fechava o negócio, pois sabia que então teria alguns momentos para ele... Às vezes saíam para passear e outras vezes iam brincar. A alegria não durou muito, pois chegou a invasão a seu povoado e eles tiveram que fugir ficando assim separados. A mamãe ficou com Abubaquer, e seu papai foi levado quem sabe para onde. O menino ficava muito triste, sempre pensando em seu papai, já não tinha sua companhia para soltar pipas e para passar momentos alegres com ele.

Certo dia, ia muito pensativo pelas ruas do povoadozinho, ouviu vozes de crianças e ao aproximar-se da porta viu de onde saíam as vozes. Olhou para dentro e viu que todas as crianças estavam de pé e todos com os olhos fechados e pareciam falar com alguém, mas não viu nada. Ao terminar, todos tomaram seus livros e correram para suas casas. Abubaquer aproximou-se de um menino e perguntou-lhe com quem estavam falando naquele momento. O menino respondeu: com Deus. Abubaquer se interessou e seguiu perguntando se Ele ouvia mesmo e respondia. O menino falou-lhe de Jesus, de como nos ama, como podemos falar-lhe por meio da oração e que Ele nos responde e convidou para que estivesse com eles no dia seguinte.

A caminho de casa, Abubaquer colocou a mão no bolso buscando uma moeda, e parou numa tenda e comprou uma pipa (papagaio). Chegou em casa e sua mamãe não estava, assim que ele tomou o lápis e escreveu algo em sua pipa e foi correndo à montanha mais alta que havia ali, e ali soltou o seu papagaio, e como se sentia feliz ao vê-lo ficar tão alto, mas o vento de repente parou e pouco a pouco a sua pipa foi descendo. Abubaquer imediatamente disse para si: "Eu creio que Deus teve tempo de olhar das nuvens e ler o que ele dizia". Enquanto isso, numa grande cidade, perto desta aldeia, um sr. chamado também Abubaquer, ia todos os dias à estação e olhava cada menino e a cada senhora que saltavam do trem, e sempre voltava decepcionado à sua casa. Um dia, que havia ido como tantas vezes, um trem chegou, olhou outra vez cada senhora e cada garoto que descia do trem e voltou triste porque não encontrava os seus queridos. Enquanto caminhava triste, notou que no último vagão daquele trem havia uma pipa e que nela estava escrito alguma coisa. Correu para lá e leu: "Querido Deus, eu me chamo Abubaquer, vivo na aldeia da montanha, e meu papai também se chama Abubaquer. Por favor, mande-o de volta para nossa casa. Muito obrigado". Quando o sr. Abubaquer leu aquilo, imediatamente comprou passagem e no primeiro trem, partiu para aquele povoado na montanha.

Quão feliz ficou ao procurar por sua esposa e filhinho e encontrá-los felizes pelo milagre que lhes acontecera. Jesus escutou a oração de um menino pagão que pediu-lhe para mandar de volta seu querido paizinho. Deus escutou a oração do menino e escutará todas as nossas orações também.

Fonte: Ministério da CriançaInstituto Adventista São Paulo (maio 1994)

7 comentários:

Carla keli disse...

que linda história parabéns... estou adicionando seu blog aos meus favoritos... vc é bem vindo no meu também

Ana D'ávila disse...

Adorei seu espaço, Tia Marilda!
Vou indicá-lo no meu multiply.
Ainda está em construção, mas se quiser aparecer por lá:
http://anadbf.multiply.com/
Bjs
Ana

Anônimo disse...

Tia Marilda! esta e a terceira vez que entro no blog, procurando histórias para contar, quando as leios fico maravilhada.(eu também amo contar histórias para os pequenos)que o SENHOR DEUS TE ABENÇOE MAIS E MAIS.

BEIJOS!

DA SOL!.

Ministério Infantil disse...

Você por acaso tem ou poderia disponiblizar para mim esta história?
Abubaquer? Eu gostaria de contá-la. Mas não possuo visual. Desde já obrigada!
rendolivp@yahoo.com.br

solange disse...

oi! tia marilda, tudo bem? desejo que sim
a historia de abubaquer e simplismente maravilhosa, alias todas.
referente aõ anônimo disse foi erro de tecla, disculpa.
beijos, tia sol!

Tatiana Milhomem disse...

Eu sempre achei essa história maravilhosa e me emociona muito, sempre quis saber se ela era verdadeira ou não, mas agora acredito q seja, devido à fonte. Tenho as gravuras da história para quem quiser. Deus a abençoe.

Marilda disse...

Eu também achei linda a história do "abubarque! Tenho as gravuras. Só que pra mandar via net não dá pois o scanner está com problema. Se você quiser eu mando pelo correio. Basta enviaar seu endereço pelo meu email. marildafdt@yahoo.com.br
Deus abençoe!